quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A novela Dilma, Ti-ti-ti e o falso moralismo brasileiro


O brasileiro gosta de transformar tudo em novela.

O debate em torno dos atuais candidatos eleitorais tirou o foco das tramas dos folhetins. Nos últimos dias ninguém ouve falar em Jacque Le Clair e Vitor Valentim ou sobre quem matou Saulo, mas pra cada canto que você olhe, em qualquer mídia que você utilize, seja TV, rádio, jornal, internet ou revista, tem uma nova noticia/boato ou polêmica envolvendo os candidatos.

Antes que o primeiro turno ocorresse, discutia-se a credibilidade de alguns candidatos-artistas, a ridicularidade de outros, alguns boatos (ou não) da Dilma, entre outras abobrinhas.
Agora que o primeiro turno passou e a maioria dos candidatos foi descartada, o centro das atenções são os presidenciáveis.

Por alguma razão completamente inexplicável, o povo decidiu vilanizar a Dilma (e vai alem dos bigodes e dos chifres em cartazes).

Não cito os boatos, pois não parei para pesquisar sobre a veracidade deles ou não - apesar de alguns serem absurdos a tal ponto que eu nem precise disso. A questão é: por que uma parte do povo brasileiro está tão revoltada com Dilma?



Primeiramente achei que fosse manifestação inconsciente de machismo, mas em contra-partida as mesmas pessoas que criticavam Dilma, apoiavam Marina, então isso foi descartado.

Depois considerei a hipótese de ser ódio ao PT, ou ao atual governo mal direcionado. Mas Lula possui índices recordes de aprovação, então descartado também.

Visto minha ignorância política, avaliei o passado de Dilma. Teria ela feito algo tão vilanico antes, que as pessoas tivessem medo que se repetisse agora? Pelo que vi ela nunca foi envolvida diretamente em nenhum grande escândalo. Descartada todas essas hipóteses só restou 2 coisas a considerar.

Primeiro, o povo brasileiro tem uma tendência natural a boataria, ao tititi, ao disse-me-disse, a analise de vida alheia, e segundo, a um estranho fenômeno de Maria vai com as outras que tomam conta do pedaço. 


Ninguém ta interessado em argumentar, em apurar os fatos, em saber qual a origem do que estão dizendo. O povo só quer espalhar a fofoca, criar uma trama e se inserir discretamente, nela. O povo quer fingir que tem alguma importância pra nação, que não se deixa enganar facilmente e que possui senso crítico e força pra influenciar outros indivíduos. Ninguém discute se os melhores projetos são do candidato A ou B (não vi ou li ninguém questionar promessa de salário mínimo de 600 reais), alguns nem mesmo sabem quais são os projetos. E os políticos para seguirem a tendência e garantir votos acabam entrando no jogo e dão continuidade a trama. Daí em diante não são mais as qualidades de cada um que estão em pauta e sim os defeitos. Cada partido encarrega uma equipe para desenterrar defuntos do passado do adversário e começa a pancadaria. E vence quem conseguir juntar mais podres do outro em menos tempo.


Pseudo-moralistas

Pior que os boateiros, são os pseudo-moralistas.
Os pseudo-moralistas são aqueles que dizem não para qualquer opinião polemica ou que vá contra o senso comum não importando qual seja o fundamento do seu argumento.

Liberação da maconha? NÃÃÃÃOOO

Casamento de homossexuais? NÃÃÃÃÃÕOO

Eutanásia? NÃÃÃÃÃOOOO

Aborto?NÃÃÃÃÃOOOO

Pena de morte? NÃÃÃÃÃOOO

Eles simplesmente não tem razão para ser contra, eles simplesmente acham sujo, maligno e monstruoso qualquer debate sobre as questões acima.

E bastou Dilma deixar claro numa entrevista que era a favor do aborto para que o movimento moralista considerasse a candidata o próprio anti-cristo.

Mas por que?

Por trás da candidata existe uma pessoa com opiniões, idéias e gostos que coincidem ou não com de algumas pessoas.

Esse tipo de situação cria uma tendência das figuras publicas se tornarem falsas e mentirosas, para que possam se moldar e agradar a maioria. Ao contrario do que se clama por ai, o povo não quer que o candidato seja sincero, o povo quer ouvir mentiras, receber tapinhas nas costas, quer ouvir promessas absurdas, porque encarar os problemas graves de frente é difícil e ouvir a verdade dói.

Vamos ser realistas, o mundo não é uma novela de Manoel Carlos.

P.S.: Para os ignorantes que não sabem diferenciar o cú das calças, não estou manifestando nenhum apoio a Dilma, pois eu nem mesmo voto. Tampouco estou debatendo a legalização do aborto, pois apesar da finalidade, também me manifesto contra.

8 comentários:

Anônimo disse...

A dilma nao se manifestou a favor do aborto nao. Ela disce que è contra. Alias o motivo è a parceiria com os evangelicos. Agora fala serio sera que alguem levou em consideraçao o salario de 600 reais? onde eu trabalho tem 65 funcionarios que ganham o salario minimo e acredite 600 reais nao os deixaram entusiasmado nao

Anônimo disse...

so nao gostei do P.S voce é muito maneiro, se minha filha fosse estuprada e ficase esperando bebe eu seria a favor deste aborto para cada situaçao uma opçao É ISTO QUE TORNA AS POSSIBILIDADES que chamamos de justas

Sara Loren disse...

A Dilma nao diSSe ser contra o aborto. Ela, nao sei se como pessoa ou como presidente, eh a favor.

Mas essa promessa do Serra eh phoda mesmo... 90 conto a mais nao eh nada. Bom mesmo seria o Plinio que ia colocar essa zorra pra 2.000 paus...
ahaauhauhauha

Alex Bittencourt disse...

Anônimo 1, Dilma deixou claro numa entrevista feita a um tempo atrás que era a favor, só que devido a repercussão da declaração q ela fez, ela decidiu voltar atrás pra preservar sua imagem de boa moça.

Alex Bittencourt disse...

Anônimo 2, eu sou contra a legalização do aborto e não do aborto em certas circustâncias. Se o aborto fosse legalizado a galera ia sair trepando a rodo pq sabia q qualquer coisa era só ir no posto mais próximo e abortar. O aborto ia banalizar o sexo. Viraria uma zona

Anônimo disse...

Alex, o sexo jah estah banalizado a muito tempo...
Eu soh me pergunto se a galera pensa que chá ou remedio abortivo eh mais barato do que camisinha...
Quer trepar, se proteja, vei...
Aih ninguem vai precisar abortar...

Mas esse lance de aborto no caso de estupro eh de se pensar... a criança nao tem nada a ver com o fato (horrendo)... ela vai ter que pagar pelo ato de um monstro? eh matar um inocente pra aliviar a mente de outro...
outro que as vezes nem eh tao inocente assim... as mulheres hoje andam semi-nuas como quem diz "me coma, please!"... nao quer ser estuprada, toma vergonha na cara e compra uma roupa descente...
pra mim a maioria das mulheres defensoras do aborto sao essas cachorras que querem transar adoidadas sem responsabilidade.
toma remedio, porra!

P.S.: estou me referindo a certos casos, nao quero dizer que a mulher nao eh a vitima, mas as vezes o peão nao aguenta ver um rabo de saia dando sopa...
e nao estou defedendo estuprador. pra mim esses caras tinham de ser capados...

Alex Bittencourt disse...

Anônimo, entendo sua aversão ao aborto, mas esses argumentos 'Silas Malafástico' não convencem. Não se discute o que deve ser feito ou não para evitar a gravidez indejesada, quando se discute sobre o aborto partimos do seguinte ponto: A mulher está grávida, e agora?

O que, na minha opinião, complica a liberação do aborto é a desculpa que cada um vai usar pra justificar o ato.

O cara engravidou a amante, o sujeito se acha muito jovem pra ser pai, a mulher acha que seu corpinho nunca mais será o mesmo... São algumas das preocupações mais recorrentes da gravidez indesejada.

Todo mundo sabe que a criança (leia-se feto) não tem nada a ver com isso, mas vamos encarar a realidade, o mundo não é um filme de Steven Spielberg. Pare pra pensar racionalmente no seguinte caso: A mulher desempregada engravida de um traficante de drogas. É melhor abortar um feto ou deixa-lo nascer e viver uma vida miserável? O que é mais insensível? Pra sua consciência é mais confortável descartar o aborto, mas deixar nascer uma criança que será criada sem nenhuma estrutura familiar e financeira e em meio a marginalidade é bem mais cruel a longo prazo.

Alex Bittencourt disse...

indesejada*

Postar um comentário